Monday, February 18, 2008

It rained terribly in Portugal since yesterday and until three hours ago. 112 people were moved from their homes, 179 having become homeless in Lisbon District. Fortunately the rain seems to have stopped. But unfortunately one person lost her life and another one is still missing.

4 comments:

Sailor Girl said...

Belas, Sintra, 18 Fev (Lusa) - Uma estrada degradada, um muro parcialmente destruído e uma ribeira semelhante a uma lixeira proporcionaram, segundo moradores de Belas, Sintra, o incidente do qual resultou um morto e um desaparecido, após uma noite de inundações.

A rua Alexandre Herculano, em Belas, assistiu hoje, durante a noite, a uma forte inundação que provocou sérios prejuízos em algumas garagens e veículos estacionados junto àquele local, assim como a queda parcial de um muro, que separa a Estrada Nacional 117 e a Ribeira do Jamor.

Horas mais tarde, a queda do muro acabaria por ser fatal para uma condutora, que às 07:30 circulava na Estrada Nacional 117 e que viu o seu veículo ser arrastado por uma corrente de água em direcção à ribeira.

Alguns moradores e familiares da vítima avisaram as autoridades de que uma segunda pessoa se encontraria dentro do veículo quando se deu o incidente, encontrando-se neste momento a Protecção Civil, a Polícia de Segurança Pública e os bombeiros a efectuar buscas ao longo da Ribeira do Jamor.

Às 07:30 vários moradores encontravam-se já na rua em direcção aos seus postos de trabalho e assistiram a tudo, desde a inundação até aos avisos que foram feitos por outros moradores para que a condutora deste veículo não prosseguisse a marcha naquela estrada.

"A senhora foi teimosa. Toda a gente disse para ela não passar mas passou à mesma", disse à Lusa Cristiano Brito, morador em Idanha, junto a Belas, um dos muitos veraneantes que se encontravam no local durante os trabalhos de remoção do veículo de dentro da Ribeira.

Também Domingas Maria assistiu ao incidente e garante que a condutora foi avisada para não circular naquela estrada.

"Ela viu que não conseguia passar, foi avisada e mesmo assim continuou. Depois perdeu a direcção e puxou o travão de mão mas o carro virou logo para a Ribeira", disse Domingas Maria, 45 anos e moradora em Belas "há mais de 20".

Esta moradora adiantou ter visto duas "mulheres dentro do carro" e que um "condutor de uma camioneta ainda tentou sair para ajudá-las mas já não conseguiu fazer nada" dada a força da água.

Pelas 13:00 as autoridades conseguiram remover o carro, de cor bordeaux, que ficou praticamente destruído e a marca irreconhecível, tendo a grua rebentado um dos cabos eléctricos junto ao local, o que provocou várias faíscas e alarmou a população, que assistia aos trabalhos.

Alguns moradores contaram à Lusa que esta estrada, "que é um autêntico IC-19", devido à circulação automóvel que tem, é propícia a inundações pelo facto daquela zona estar situada num vale, o que faz com que as águas das chuvas escoem dos montes.

"A estrada está cheia de buracos e fica num vale, o que faz com que as águas acumulem lá. O muro é muito antigo e degradado, e a ribeira mais parece uma lixeira a céu aberto", disse à Lusa José Sousa, morador nesta Freguesia do Concelho de Sintra.

Edgar Fraga, 36 anos, morador em Belas, partilha da mesma opinião e disse à Lusa que esta estrada junto a Belas "inunda muitas vezes".

"Tivemos uma grande cheia há dois anos e chegaram aqui os bombeiros e partiram o muro por baixo para fazer o escoamento para a ribeira. Isso também pode ter sido a causa do muro ter caído porque estava debilitado", referiu Edgar Fragas.

Márcia Dinis, 26 anos, mostrou a entrada da sua casa à Lusa, um dos locais onde ruiu o muro junto à ribeira, e onde se podia verificar a quantidade de lixo que se encontrava junto a algumas hortas.

"Isto é inadmissível. As pessoas mandam o lixo para a ribeira e entopem as sarjetas todas", disse esta moradora, acrescentando ter visto "há pouco tempo os homens da câmara a limpar a ribeira".

Arnaldo Santos, 49 anos, e morador em Belas desde 1968, adiantou à Lusa que esta ribeira deveria ser limpa "mais vezes".

"Limparam a ribeira há dois anos mas como se vê isto está sempre cheio de canas, o que impede a circulação de água", referiu este morador.

Contactada pela Lusa, uma fonte da Câmara de Sintra, adiantou que "o incidente de hoje nada teve a ver com a Ribeira".

"A estrada alagou e as sarjetas entupiram por causa da chuva", referiu.

Em comunicado enviado à Lusa, a Estradas de Portugal assegura ser a empresa que "garante a conservação corrente do pavimento, sinalização e limpezas" da Estrada Nacional 117, e que o muro que hoje ruiu "apresenta aberturas na sua base que permitem o encaminhamento" das águas para a Ribeira, "com vista ao escoamento das águas da plataforma da estrada".

A Estradas de Portugal adiantou ainda ter em curso um estudo com a Câmara de Sintra para uma futura intervenção nesta estrada.

"A EP e a Câmara Municipal de Sintra têm em curso um estudo que avalia a possibilidade de se efectuar uma intervenção que melhore as condições de circulação, nomeadamente com melhoria das características geométricas da estrada e nova pavimentação", adiantou a Estradas de Portugal em comunicado.

JYR.
Fonte: Agência LUSA

Rambling Round said...

This is one bad cloud. Sure hate to hear about the loss of life.

Gordon said...

It is terrible when we get weather extremes. Sorry to hear about the rain and the ensuing hardship in Lisbon.

We had a major flooding in Queensland (a couple of thousand kilometres from Adelaide). Mackay recorded its heaviest downpour in 90 years last Friday, when 624mm of rain fell in 10 hours.

Here in Adelaide it is summer; has not rained for over a month - everything is so dry.

caniche vagabundo said...

Às vezes a vida é muito cruel...