Saturday, July 21, 2007

AS CORES DE UMA CANOA * THE COLOURS OF A SHIP

«As cores de uma canoa
são alegres e luzidias:
Feitas no Ribatejo
Emprestam a Lisboa
Melhores luzes, melhores dias
e melhores vistas no Tejo.
The colours of a ship
Are merry and sparkling bright:
made in Ribatagus,
They bequeath to Lisbon
Better lights, better days
And better views in the Tagus.»
Poema de Sailor Girl e fotografia de António Homem Cardoso.

9 comments:

SeaWolf said...

Só falta ai a cor da Princesa do Tejo :P

Sailor Girl said...

LOL!!!
Por quê, não está?? (ver canto inferior mais para o meio...)

Van Dog said...

Lindo!

pereira de oliveira said...

Seawolf...a nossa Comodoro...sabe as cores de todas a s canos e a Princesa do Tejo que é lindissima tema cor que ela diz e está ponde ela diz que está!!!!agora o poema é uma glória e mostra mais uma vez o coração e o talento que fazem da Sailor Girl a inspiração e lhe dão a força de nos mostrar e divulgar no mundo...temos que ir todos à regata Atlântico Azul e prestar-lhe homenagem

pereira de oliveira said...

o poema é lindo em ambas a s línguas...beautifull, the poem in both languages...AMAZING!!!

João Manuel Rodrigues said...

Sailor Girl:
Peço-te imensa desculpa, mas só agora me lembrei de agradecer o facto de colocares o "volare" entre os irmãos.
O "Volare" (barco) é neste momento o unico bem material que me resta, o blogue "Volare" é um bem virtual que me está a dar muito gozo, a MAMA tambem, mas não tem o mesmo sentido.

Obrigado pela preferência

João

Kitty said...

Hi Sailor Girl! Thanks for stopping by my blog again! Hope you are well.

pinguim said...

Cara amiga
como já deixei respondido no seu amável comentário no meu blog, infelizmente, não é possível dar seguimento à sua sugestão, pois o endereço da conta , segundo o Gmail, não está disponível.
De qualquer forma, um agradecimento pela sua amável disponibilidade.
E parabéns pelo seu blog, muito original, e muito bonito.
Uma boa semana.

Sailor Girl said...

Oh... que pena, pinguim. De qualquer maneira não vou desistir. Um abraço!