Monday, July 16, 2007

Tristesse «J'ai perdu ma force et ma vie, Et mes amis et ma gaieté; J'ai perdu jusqu'à la fierté Qui faisait croire à mon génie. Quand j'ai connu la Vérité, J'ai cru que c'était une amie; Quand je l'ai comprise et sentie, J'en étais déjà dégoûté. Et pourtant elle est éternelle, Et ceux qui se sont passés d'elle Ici-bas ont tout ignoré. Dieu parle, il faut qu'on lui réponde. Le seul bien qui me reste au monde Est d'avoir quelquefois pleuré.» Alfred de MUSSET (1810-1857)

16 comments:

caniche vagabundo said...

Ohhhh...
Então? Nada de tristezas!

Sailor Girl said...

É a tristeza do Mundo, aqui materializada num dos animais mais lindos do planeta, em clausura.

Como todos nós, em clausura, aguardando lentamente ou conformando-se com a mesma.

A tristeza que cada um nesta Vida carrega dentro de si e que mais ninguém vê, nem tem tempo para ver.

Resumimo-nos a uma condição meramente animal:

-uns, do género «predadores»;
- outros, domesticados pelos primeiros;
- os demais, em clausura, sofrendo em silêncio.

(peço desculpa, tenho estado muito filosófica e o tempo também não ajuda)

pereira de oliveira said...

Miguel Anxo Férnan – Vello:

Os que teñen o mar prendido nos seus ollos
E len no vento a rota invisivel dunha estrela
Que anuncia a exhalación do norte, dire

Contra a dor ancorada no remuíño escuro do tempo,
Contra o arame negro que transita a pobreza,
Contra a fame sonámbula vaciada na noite,
Contra o terror que arde na historia repetida,
Os que queren a paz fenden o duro muro da paciencia
E avanzan arborecendo a liberdade,
Medrando como un río de palabras que ferven,
Armados como o vento que assubía triunfante

Saberaas que a tua vida ee un verao feliz no seu rostro,
Que o corpo ee uma alquimia de sonhos,
saberaas que o tempo ee uma maagoa que queima o esquecimento,
E sobretudo, saberaas como eu sei, e saberemos todos, que a liberdade ee um acidente do amor.
Por isso ama naao este ou aquele, isto ou aquilo, que isso ee taao passageiro e tao indiferente como a onda, mas ama!

Van Dog said...

:(

Sailor Girl said...

É... têm razão. Este blogue é um espaço de libertação pessoal, mas tenho exagerado nos últimos dias... Brevemente coocarei os resultados da Regata de Portugal que se realizou este fim-de-semana.

Sailor Girl said...

A leveza com que as pessoas se (mal) tratam umas às outras e a leveza com que atiram as culpas para cima dos outros e se (auto) convencem da sua inocência...

Sailor Girl said...

Mas a CRUELDADE é que me põe mesmo fora de mim!!!...

JoaoQuaresma said...

Eu também estou muito descontente com os radares em Lisboa. 50 Km/h no prolongamento da Av. dos EUA é puro estalinismo.

;)

Sailor Girl said...

A retenção mensal na fonte parece-me pior ainda...
;-)

JoaoQuaresma said...

António Costa na CML... BUUUUÁÁÁÁÁÁ!!!!

LisbonGirl said...

:)







PS - Também não suporto a crueldade!

JoaoQuaresma said...

Sailor Girl: para ficarmos ainda mais tristes, podia fazer um tópico sobre «Os Navios Mais Feios a cruzarem os Mares». Que tal?

Já agora: joao.kuaresma @ gmail.com

pereira de oliveira said...

deixa lá quem quer que fosse, e ninguém era pior ou melhor, fica por de trás dos contentores...e o rio fica só para as canoas...e tupperwares claro está!

JoaoQuaresma said...

Tupperware? Essa não conhecia. São os catamarãs?

caniche vagabundo said...

Eu, quando estou triste, arranco pelos com os dentes. experimenta, comigo resulta, sinto-me logo mas leve.

Deanna said...

Good for people to know.