Friday, October 26, 2007

Projecto «Vela Adaptada - Vela Sem Limites»

Composição baseada em fotografias de Charles Lindley, um dos grandes amigos e promotor fervoroso desta prática desportiva!! Mais informações [AQUI]).
A Câmara Municipal de Cascais e a Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas de Cascais (CERCICA) assinam, no próximo dia 30 de Outubro, terça-feira, às 15H00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o Protocolo para a Comparticipação da Gestão de Viatura de Transporte Adaptado. Esta parceria enquadra-se no Projecto “Vela Adaptada – Vela Sem Limites”, destinado à prática da modalidade de vela por pessoas portadoras de deficiência. (continua em comentário a este post).
Equipamento afecto ao projecto:
  • Cinco barcos ACCESS concebidos especificamente para a Vela adaptada. Um dos barcos está preparado com comandos eléctricos para tetraplégicos;
  • Dois semi-rígidos de apoio;
  • Um cais flutuante equipado de grua de transferência;
  • Equipamento de segurança;
  • Monitores de vela;
Sessões regulares de Vela:
  • Segunda e quinta-feira de manhã para as instituições;
  • Quarta-feira à tarde para participantes individuais das escolas do concelho.

4 comments:

Sailor Girl said...

Projecto “Vela Adaptada - Vela Sem Limites”
2007-10-26

A Câmara Municipal de Cascais e a Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas de Cascais - CERCICA assinam, no próximo dia 30 de Outubro, terça-feira, às 15H00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o Protocolo para a Comparticipação da Gestão de Viatura de Transporte Adaptado. Esta parceria enquadra-se no Projecto “Vela Adaptada – Vela Sem Limites”, destinado à prática da modalidade de vela por pessoas portadoras de deficiência.


O presente acordo visa a comparticipação financeira do município na gestão da viatura de transporte adaptado oferecida à CERCICA em Abril último, pela Fundação SIC Esperança, BP e Projecto Social Rock in Rio Lisboa 2006, para transporte de crianças e jovens participantes no Projecto “Vela Sem limites”. Neste âmbito, a Câmara Municipal de Cascais compromete-se a apoiar com cerca de nove mil euros por ano, a manutenção e utilização da viatura.

Desenvolvido desde 2005, este projecto favorece a inclusão e igualdade de oportunidades das pessoas com deficiência do concelho de Cascais na prática de um desporto que constitui uma mais-valia em termos lúdicos e terapêuticos, tendo, desde o seu início, já beneficiado para cima de 700 praticantes das sessões regulares de vela adaptada.



Projecto Vela Sem Limites

Instituições que colaboram com a Câmara Municipal e o Clube Naval de Cascais:
Cercica - Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Crianças Inadaptadas de Cascais, Lar da Boa Vontade (Carcavelos), Lar Casa da Alapraia da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM), Acção Sócio-Cultural da Associação Cristã da Mocidade (ACM), Centro de Apoio Social do Pisão da Santa Casa da Misericórdia de Cascais, Agrupamento de Escolas de Santo António (Parede), Associação Portuguesa de Deficiência Motora (APDM).

Equipamento afecto ao projecto:
- Cinco barcos ACCESS concebidos especificamente para a Vela adaptada. Um dos barcos está preparado com comandos eléctricos para tetraplégicos;
- Dois semi-rígidos de apoio;
- Um cais flutuante equipado de grua de transferência;
- Equipamento de segurança;
- Monitores de vela;

Sessões regulares de Vela:
- Segunda e quinta-feira de manhã para as instituições;
- Quarta-feira à tarde para participantes individuais das escolas do concelho.

Anonymous said...

Finalmente uma boa noticia!Espero que alarguem esta iniciativa a outras zonas do país para que todas as pessoas portadoras de deficiencia possam ter oportunidade de praticarem desporto e como tal sentirem-se mais felizes.Ora aqui está um exemplo a seguir e que devia ser mais divulgado.Parabens.JC.

LisbonGirl said...

Muito bom!:))

Velas do Tejo said...

Na realidade a vela adaptada está muito mais desenvolvida em Matosinhos que cá por baixo. Só em Lisboa existem 3 projectos de vela adaptada... mas vá-se lá saber porquê o de Cascais parece sempre o único...

Sobre este âmbito também muito há a dizer relativamente à APL que insiste em não permitir a colocação de uma grua que permita o acesso de pessoas com necessidades especiais à água. De destaque, ainda, o facto desta curiosa instituição cobrar pelo parqueamento de duas embarcações - mini transat adaptados - envolvidas me projectos com a Associação da Paralesia Cerebral de Lisboa e a ACAPO.