Thursday, May 3, 2007

Usar o Dom que Deus nos empresta

(Mais uma pintura de Rodrigo Bettencourt da Câmara)
Há seres felizes. Há seres que nascem com um dom especial, seja para artes, para letras, para ciências ou para qualquer outra finalidade para que estão destinados à nascença, para florir na primavera, para dar frutos e nos alimentar, para nos refrescar nas tardes de verão, para nos guiar e iluminar as noites escuras, para inesperadamente nos encantar, sobretudo nos momentos em que nos sentimos esvaziados pelas agruras da vida. Há seres capazes de utilizar esse dom adquirido por empréstimo divino para nos aquecer o corpo, como o Sol ou as Furnas dos Açores, para nos refrescar alma, como o chilrear dos passarinhos ao nascer do dia, ou o pôr do Sol e o vento nas dunas do Guincho, ou mesmo para nos encher de adrenalina, como o Creoula a navegar à vela com o pano todo, ou um jeep a percorrer a savana africana, enfim, para nos aquecer o coração e nos alegrar.
Descobri na [Arte do Rodrigo] o desenvolvimento de um dom divino. Ecléctico, é certo. Mas denota-se o emergir do sentimento puro que caracteriza os naturalistas, que espero desenvolva cada vez mais e, de preferência, cada vez mais depressa, por não haver tempo a perder, por ser URGENTE captar a Natureza no seu estado PURO. E descobri na sua «cara-metade» o que poderá ser a sua fonte de inspiração: é linda e pura, é companheira, tem uma alma de passarinho eterno que passa por nós, que canta de peito aberto e nos ENCANTA!... Que saltita no meio do verde e de repente levanta voo para poisar uns metros mais à frente, em cima de um arbusto florido a céu aberto. E faz coisas LINDAS. Podia apenas fazer, que já seria muito positivo. Mas tudo o que faz, o que cose, o que pinta, o que fotografa, é lindo. Pois fá-lo com coração cheio de ALEGRIA e generosidade e com ALMA! Ao Rodrigo e ao «Passarinho» desejo as maiores felicidades e que continuem a fazer coisas lindas e sentidas, de preferência em tons de AZUL!...
Descreverei noutros posts, assim que me for possível, outros seres encantados que me encantam e me tocam particularmente. Graças a Deus já vão sendo bastantes...

6 comments:

JoaoQuaresma said...

Sailor Girl: aquecer o corpo nas Furnas pode ser um bocado violento. Os indígenas até as aproveitam para fazer sopa, ou feijoada, ou lá o que é.

pereira de oliveira said...

sublime ... Sailor Girl ... sublime

caniche vagabundo said...

Ah!!!.... Sailor Girl, que simpatia e delicadeza. Que comovidos que ficaram os meus donos!!!!
Muito obrigado!

teresa said...

Muito Obrigada por este post!
Tu é que nos surpreendes sempre com a tua forma intensa e alegre de apreciar as coisa.

caniche vagabundo said...

"coisas"! Ela cria dizer "as coisas", e não "as coisa"!!!!

Sailor Girl said...

Deve ser em Creoulo!... LOL!!!
Não têm nada a agradecer. Nós é que vos agradecemos que continuem a fazer tantas coisas (em Creoulo, «coisa») lindas e a essa velocidade!!!! Fiquei pasma com as aguarelas do Teddy!!!!
Beijinhos!!