Wednesday, July 4, 2007

Milhares de pessoas "mergulham contra a pobreza" em Portugal, Espanha e Itália

A Lusa informa que milhares de pessoas em três praias portuguesas, espanholas e italianas mergulham sexta-feira, dia 7 de Julho, contra a pobreza, assinalando assim «...a metade do caminho percorrido no compromisso mundial de erradicar este problema até 2015». (Continua em comentário a este post). Interessante… Podíamos organizar uma iniciativa idêntica, do género «Navegar contra a Crise», que tal?...

2 comments:

Sailor Girl said...

Lisboa, 04 Jul (Lusa) - Milhares de pessoas em três praias portuguesas, espanholas e italianas mergulham sexta-feira contra a pobreza, assinalando assim a metade do caminho percorrido no compromisso mundial de erradicar este problema até 2015.
A iniciativa decorre no dia em que os governos de Portugal, Espanha e Itália assinam, em Alicante, Espanha, uma declaração conjunta para unir esforços na luta contra a pobreza e na aplicação dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas em 2000.
A declaração conjunta será assinada na véspera de se chegar a meio do prazo fixado para alcançar os ODM, o maior compromisso internacional de sempre na luta contra as desigualdades.
A Campanha do Milénio das Nações Unidas - Objectivo 2015 lança o repto a todos os banhistas de Carcavelos, bem como a individualidades portuguesas para que sexta-feira "mergulhem contra a pobreza".
A mesma acção decorrerá em simultâneo na Praia Mal Pás, em Benidorm, e no Parque Aquático de Aquafan em Itália.
O mais recente relatório das Nações Unidas sobre este compromisso, divulgado hoje, revela que o mundo tem feito progressos significativos para reduzir até 2015 a pobreza extrema, mas continua aquém de atingir as oito metas definidas nos Objectivos do Milénio.
Segundo o documento, a proporção de pessoas que vivem com o equivalente a um dólar por dia baixou de 32 por cento (1,25 mil milhões em 1990) para 19 por cento (980 milhões em 2004).
Se esta tendência se mantiver, estima o relatório, "a meta de redução da pobreza será atingida pelo mundo no seu conjunto e pela maior parte das regiões".
O documento acrescenta que existem razões para acreditar que alguns progressos estão a ser conseguidos "até nas regiões onde os desafios são maiores".
O relatório revela que as reduções mais expressivas da pobreza extrema tiveram lugar no Sul, Sudeste e Leste da Ásia, mas na Ásia Ocidental a taxa de pobreza aumentou para mais do dobro no mesmo período.
Já no que respeita à África sub-Sahariana, apesar dos avanços, o fosso da pobreza nessa região continua a ser o maior do mundo.
"Os resultados apresentados neste relatório sugerem que foram obtidos alguns avanços e o sucesso ainda é possível em grande parte do mundo", declara o Secretário-Geral Ban Ki-moon no Prefácio do Relatório dos Objectivos de Desenvolvimento do Milénio 2007.
No entanto, para Ban Ki-moon ainda há muito que continua por fazer.
Mais de meio milhão de mulheres morre anualmente devido a complicações evitáveis e tratáveis associadas à gravidez e ao parto e foram conseguidos poucos progressos na redução para metade da proporção de crianças com baixo peso.
Igualmente negativo é o facto do número de mortes devido à SIDA no mundo ter aumentado para 2,9 milhões no ano passado em relação aos 2,2 milhões em 2001, ao passo que mais de 15 milhões de crianças perderam um ou ambos os pais devido à pandemia.
Por outro lado, metade da população do mundo em desenvolvimento continua a não ter acesso a saneamento básico e os efeitos potencialmente catastróficos das alterações climáticas já começam a fazer-se sentir.
De entre as razões para a falta de progressos, o secretário-geral destaca o facto de os benefícios do crescimento económico não estarem a ser repartidos de forma equitativa e aponta o fracasso dos países mais desenvolvidos em cumprirem os seus compromissos no sentido de proporcionar "financiamento adequado no âmbito da parceria global para o desenvolvimento e o respectivo quadro de responsabilização mútua".
Os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio são um conjunto de compromissos globais assumidos por quase todos os países do mundo na Cimeira do Milénio promovida pela ONU em 2000.
Nesta cimeira foram exigidos progressos quantificados e com prazos para a erradicação da pobreza extrema e da fome, para a promoção da igualdade de género e a capacitação das mulheres, redução da mortalidade infantil, a melhoria da saúde materna, o combate ao VIH/SIDA, malária e outras doenças e ainda a sustentabilidade ambiental.

pereira de oliveira said...

Navegar contra a crise ee uma ideia da Sailor Girl a que eu adiro e de que serei, jaa sou, militante...vamos marcar uma data para 2008 e comeccar jaa a divulgar por todo o lado onde chegarmos