Friday, February 6, 2009

BRING BACK «ARGUS» TO PORTUGAL!!!

AUCTION PENDING IN ARUBA!!
PLEASE HELP US BRING BACK HOME OUR SHIP!!!...
Old picture downloaded from the archives of Lisbon's Town Hall, describing the blessing of the Portuguese White Fleet in the 1950's and 1960's, usually in April, at Tagus River (Lisbon), before departing for the Codfish Campaigns in Newfoundland. One of them in the picture, the schooner «POLYNESIA II» (former «ARGUS»), sister of «CREOULA» and «SANTA MARIA MANUELA», CAN become Portuguese again very soon!... YES WE CAN!!! WE CAN BRING HER BACK TO PORTUGAL!!!
Built in 1939 in the Netherlands for Lisbon based owners Parceria Geral de Pescarias, «ARGUS» has been cruising in the Caribbeans since 1976 under the name «POLYNESIA II». Sold by Parceria in 1974 to Canadian interests (White Fleet Cruise Ships), she was resold in 1975 to Windjammer Barefoot and converted to carry 126 passengers. However, this company has gone bankrupt... and we are affraid that «ARGUS» will be «left outside alone»...
Following the track left by A. Fangueiro and by me (on my post of January 7, 2008) and by John Seaman, Pedro Vasconcelos and myself tried to track the auction of Argus that was announced for January 2009 in Aruba (GMT -4). We have sent messages to the lawyers of Kloes & Partners in Aruba, but so far not received answers. PLEASE HELP US BRING BACK HOME OUR SHIP!!!...

26 comments:

www.caxinas-a-freguesia.blogs.sapo.pt said...

Agradeço que algumas das minhas palavras estejam num artigo visivel do seu blog e não apenas num comentário. Não que sejam grandes palavras, mas a exposição e dimensão do seu blog é muito maior que a do meu e isso é importante para a questão do Argus.

Continuarei atento à situação e na frente "das vontades" por todos os que amam o mar, a dar uma ajuda.

A.Fangueiro

Sailor Girl said...

Não percebo o seu comentário, pois está no corpo principal da mensagem, não tão desenvolvido quanto gostaríamos é certo, mas infelizmente este blogue é um hobby e não tenho muita disponibilidade...

Mas prometo que continuarei a «ideia».

Sara said...

Olá adorei o teu blog...Não vou parar de escrever mesmo...um grande bjinho...vou adicionar o blog aos meus favoritos...Bom ano

Sailor Girl said...

É isso mesmo, Sara!!!... FORÇA!!!... UM EXCELENTE ANO PARA TI TAMBÉM!!!!!

Anonymous said...

Também participei em algumas despedidas da frota do bacalhau, num daqueles sharpies ou snipes que aparecem na foto,na então chamada "regata" do São Bacalhau.
Tempos de velas de algodão...
Quanto ao Argus,pois seria uma delícia vê-lo de novo a navegar sob pavilhão português.A última vez que o vi(1975)estava ele fundeado frente ao pontão da seca do Barreiro(Parcerias)em estado de abandono.Por acaso o pai de um amigo meu esteve na orientação da sua construção na Holanda e veio a tornar-se seu Comandante,de seu nome Ramalheira oriundo de Ílhavo.
Tempos heróicos os destes Homens!
Um grande abraço de reconhecimento e agradecimento pelo interesse da Sailor Girl quanto a estas epopeias.
Luis F. Gouveia

Anonymous said...

É com desagrado que mais uma vez vejo uma canoa representante da ASSOCIAÇÃO NAVAL SARILHENSE ser cortada numa foto, por efeitos coloridos. Se isto for para continuar, a puxar só para o cnm ,podem ter a certeza que vão ter uma voz descordante a este blog

Sailor Girl said...

Não foi intencional, mas peço desculpa.
Vou retirar esta imagem até resolvermos este problema.
Já agora, que tal assinar (nem que seja com um pseudónimo)?
Sou amiga da ANS, prezo o trabalho dos seus corpos dirigentes e dos seus associados e sinceramente não os revejo na sua atitude...
Um abraço!

Sailor Girl said...

(Cont.)
O Atlântico Azul apoia a divulgação de eventos... mas para tal tem de receber informação...
Mantenha-me informada, envie-me fotografias e documentos referentes à A.N.S. e terei muito prazer em divulgar!...

pereira de oliveira said...

Quem tirou a fotografia nem sabe de quem são as canoas, nem tem que saber, para ele e para o designer, são os barcos mais bonitos do Mundo e nem de perto da região é. Na aldeia perto de São Pedro do Sul de onde ele veio nem sabiam que havia Moita, nem Sarilhos Pequenos junto ao Tejo até esse dia que vieram a uma regata em que convivemos todos. A pessoa, o trabalhador, que desenhou, concebeu o cartaz nem tem a ver com a Moita nem com Sarilhos Pequenos, não tem processo de saber de quem são as canoas, não sabe, não tem processo de saber, só faz o design que para ele é o mais profissional, o mais atraente para que quem está no mundo veja as canoas. Sabe no mundo ninguem sabe nem o que é a Moita nem o que é Sarilhos mas é para esses que há a web para que conheçam o que são canoas.
E o designer fez o que de acordo com ele que é o profissional será o mais atraente para esse Mundo aberto que existe fora do mundo fechado em que vivemos.
Como o design tem autor vamos perguntar-lhe, se ele estiver de acordo, porque o trabalho é dele, e o respeito por nós começa pelo respeito pelo trabalho dos outros, concerteza que ele próprio e só ele porque é o trabalho de um trabalhador que tem que se respeitar, as cores que perturbam o senhor anónimo. Á Associação Naval de Sarilhos nem aos seus associados ninguém quer ofender certamente e de modo algum.
Agora se por um facto que nada tem a ver com a autora deste blog, o senhor Anónimo vai ser uma voz contra um blog, este blog, o Atlânticoazul, que só faz divulgar a actividade das embarcações típicas do Tejo e que por certo registaria outros acontecimentos deixa-nos todos estupefactos! mas os anónimos são assim desde a inquisição, são a sua mola real, são o atrazo do País, os informadores doutros e pelos vistos destes tempos. Será que estão a renascer os informadores em Sarilhos? Eu não acredito que sejam de Sarilhos. Lá não havia informadores. Será que existem agora, bufos anónimos? Ainda não acredito até porque há dias etivémos na mais sã camaradagem os que andamos de canoa e catraio no Tejo...só há um Tejo e trabalhamos como um só...agora anónimos...vozes contra, contra quem só faz o serviço de servir desinteressadamente a embarcação do Tejo? como é o caso da autora deste blog que divulga toda e qualquer actividade que se faça e lhe chegue ao conhecimento...não naõ pode ser de Sarilhos...recuso-me a acreditar...mais, recuso-me a acreditar que seja da margem sul...vamos perguntar ao designer o que é qu ele profissionalmente pensa e ele fará como trabalhador e profissional o que enetender que deve ser feito.
A esta Senhora, autora deste fantástico blog, a quem os das embaracações do Tejo tanto devem, só me resta pedir desculpa de em Portugal ainda não ter acabado o o informandor que a inquisisção fomentou, o anónimo bufo de há pouco tempo na nossa memória que a perseguição utilizava e que levava Homens ao Tarrafal...não não aacredito que este anónimo seja da margem sul. Mas peço-lhe desculpa como se ele fosse.

www.caxinas-a-freguesia.blogs.sapo.pt said...

Sailor girl,

Quando acima escrevi "Não que sejam grandes palavras" refiro-me à minha própria escrita :), não ao seu post.
O post está excelente e um grande obrigado por apoiar as Caxinas-a-freguesia.

PS. Mais um pescador das Caxinas morre no naufrágio na Bretanha na madrugada passada. O único sobrevivente é também das Caxinas... é o triste fado de tantos Caxineiros, mas não sabemos viver sem o mar.

Lisbon Boy said...

Parabéns ao Centro Náutico Moitense por, mais uma vez, nos brindar com um magnífico programa de actividades.

Terá o Tejo, certamente, mais côr e alegria!

joão marinheiro said...

Abraço solidário para as Caxinas terra por onde vivi parte da minha juventude,e para os nossos pescadores que aos poucos se extinguem como os barcos tradicionais.
Sailor é uma ideia que lancei, se não formos nós os que andamos sempra a defender as nossas memórias, os nossos barcos trdicionais. Os politicos não o fazem, até porque face à lei que regulamenta a nautica de recreio os barcos tradicionais não existem. stamos na Associação que representa a trabalhar nisso no momento, a alteração da lei a nivel iberico.
Uma campanha aqui na net a favor da recuperação do Argus será optima, embora se a procura for muita a oferta aumenta, entendes. Será um sonho até porque o Santa maria Manuela agoniuzou anos e anos ao deus dará na ria de Aveiro.
A Fragata simbolo da Expo apodrece lentamente, etc etc etc...
Alinho , vamos tratar de abanar as cosnciencias por ai.
Abraço daqui junto aos barcos
que podes ver em:http://www.culturamaritima.org/node/2977

Velas do Tejo said...

Caro Pereira de Oliveira,
Uma vez que publicamente questiona, publica e humildemente lhe responderei. Com nome, com assinatura, com rosto e com palavra.

São as embarcações tradicionais do Tejo uma das mais belas existências das águas deste rio. Obras de arte vivas como as suas cores, fruto de trabalho duro, parido das mãos de homens e mulheres que, também eles, dura e humildemente trabalham para nos dar aos olhos a luz destes belos barcos a navegar.

As canoas, os catraios, as fragatas, os varinos e muitas outras não podem ter donos pois só ao Tejo pertencem… e ao Tejo não quero eu desagradar, quero, queremos defender do inimigo comum, inimigo que tem rosto, tem voz, que tem força e tem poder e, só juntos, unidos é que o conseguiremos vergar.

O Centro Náutico Moitense, alheio ao produto do trabalho por mim desenvolvido, cuja responsabilidade assumo inteiramente, demonstrou sérias preocupações em promover e estimular os seus sócios a participar em iniciativas promovidas por outras entidades. Estou certo que é seu desejo que o produto do meu trabalho reflicta o que de melhor houver para o nosso Tejo.

Deste modo, humildemente me curvarei ao Tejo e aguardarei que até quarta-feira às 18:00, o senhor anónimo envie para Hugo.diogo@gmail.com as imagens, que desejar, das embarcações que considere importante para o cartaz. Estou certo que conseguiremos o agrado e a satisfação necessária de todos os aliados nesta guerra contra o inimigo comum do nosso Tejo.

Bem hajam todos!

Uma por Dia said...

Eu sou uma leiga no que respeita a embarcações, nem consigo identificar o que falta... mas como leiga tenho a dizer que a foto está um espanto!

Gordon said...

I hope the outcome for Argus is a good one. An interesting post; I love ships and the sea.

A Memória said...

Em algum lado tem que se morrer. Por o serem, os Homens Pescadores sempre morreram no Mar. Em algum lado tem que ser. Em algum lado fica, jaz e se entrega, um dia, quem se ama. Mas, o meu sentimento, o meu pesar, vai hoje mais profundo e maior, por causa deles, para todos os que os amavam, porque os que desta vossa terra, e hoje tambem minha, ficaram em Finisterra. Embarcavam um navio de outra nacao e as suas quase ultimas palavras, as que terao dito por socorro, para serem entendidas, teriam que ser noutra lingua que nao em Portugues. Mas, as da declaracao de Amor que se faz quando se morre aos que por segundos desfilam no filme de quem sai deste mundo porque os os quer manter, para sempre, na alma essa foi em Portugues em Finis Terra.
Hoje Portugal ee um plutocracia.
A Marinha do Tejo, assim designaram, os mil cento e quarenta e tres barcos registados em 1860, estaa a renascer.
Nos ultimos anos varios barcos foram construidos e outros recuperados, salvados. Muitisima actividade renasceu, vejam , atitulo de exemplo, o programa do Centro Nautico Moitense para 2008.
Ee da nossa experiencia que temos que ser nos a fazer, o apoio politico ee muito caro e soo atraza. Temos mesmo duvidas que exista para alem do poder financeiro.
Para alem de tudo o que pocca fazer e farei se mo disserem, darei, em privado, por email uma sugestao aa Sailor Girl no caso do Argus. Se esta grande Senhora o quiser divulgar desde ja lhe digo que estaa perfeitamente no seu direito e soo depende a dasua decisao, mas tem a ver com o facto de Portugal nao ser governado por politica mas sim pelo poder financeiro. Portugal ee hoje uma plutocracia. E por isso a minha sugestao que nao sera em vez de outras mas a somar a todas as outras sera para explorar esta realidade, sera de oportunidade.

oliverfer said...

Como elemento da direcção lamento o comentário dum tal anónimo e garanto-vos que as relações entre a ASSOCIAÇÃO NAVAL SARILHENSE, CENTRO NÁUTICO MOITENSE E OUTROS AMIGOS nunca estiveram tão boas como agora.Possivelmente o comentário deve ser de alguém que não deve querer isso.

Sailor Girl said...

OBRIGADA OLIVERFER!!!...
(mande-me por favor fotografias e documentos da Associação Naval Sarilhense que possa divulgar no Atlântico Azul - sabino_pereira@hotmail.com)


CAXINAS!!!!! EU LI MAL O SEU COMENTÁRIO!!!! (parecia uma ordem, li mesmo muito mal... hehehe).

Consegui em tempos, com um grupo muito reduzido de pessoas - todas guerreiras, é claro... - elevar RABO DE PEIXE (na Ribeira Grande, Ilha de São Miguel) a FREGUESIA!!! BASTA NOS ORGANIZARMOS E TRABALHARMOS MUIIIIITOOOO, no combate ao poder instalado...

oliverfer said...

sailor girl,agradeço a sua disponibilidade,mas direi a alguem mais mais indicado para o fazer. UM BEM-HAJA

Sailor Girl said...

NÃO HAJA POR ISSO!!! ABRAÇÃO!!!

www.caxinas-a-freguesia.blogs.sapo.pt said...

Quero agradecer primeiro que tudo as palavras do colega "as memorias" sobre quem morre no mar. São mortes como as outras mas estas custam-me mais, pois são gentes da minha terra.
Quanto à plutocracia que reina em Portugal, o detalhe dos 1143 barcos registados em 1860 ajuda a ver a dimensão da diferença dos tempos. E 1143 até é a data oficial da nossa Fundação...
Sem dúvida se alguém se vai interessar por investigar a situação do Argus e quiçá abrir os cordões à bolsa, esse alguém nunca será o Estado Português e de certa forma ainda bem, pois a D. Fernando e Glória tornou-se um empecilho. Quem não gosta de mar nunca vai gostar de barcos ou perceber o seu potencial (refiro-me a gente com Pastas, ministeriais ou afins).
Espero que continue o contacto com a colega Sailor Girl, pois pressinto que pode ajudar com algo.

Um abraço a todos,
A.Fangueiro

PS. Já agora, Sailor Girl, quando arranjar tempo agradeço que me conte a história de como chegou Rabo de Peixe a Freguesia. Foi por aí que o meu blog começou e lutarei quanto possa pela elevação das Caxinas. Para não entulhar nos comentários que se devem centrar no Argus, cá vai o email cachinare@sapo.pt

fernandes said...

Fui apanhado de supresa num comentário feito anónimamente por alguém que está a querer meter axas para alguma fogueira,que enquanto eu mandar na direcção da ans, não o deixarei lavrar. Lamento e critico quem as fez. Sailor girl, mais tarde enviarei algumas fotos que me pediu, tal como o nosso plano de actividades para 2008. Bons ventos para o creoula e muito sucesso para o blog. Um grande abraço tambem a meu grande amigo velas do tejo.

Velas do Tejo said...

Caros companheiros,
O programa de actividades seguirá conforme definido, sem qualquer alteração.

Ofereço-me, desde já, para produzir uma brochura para a Associação Naval Sarilhense que tanto nos tem honrado, com as suas canoas, catraios e muita participação inclusivé em eventos internacionais.

Gostaría de ter os e-mais do fernandes e do Oliverfer para vos adicionar ao grupo de pessoas que integram a comunidade que naveha no Tejo.

Não haverá força que vença, a força da Marinha do Tejo. A Marinha do Tejo somos todos nós!

Pedro Vasconcelos said...

Seguindo a pista de A. Fangueiro, da Sailor Girl e do João Marinheiro, tentei acompanhar o leilão do Argus que estava anunciado para ontem às 13:30 de Aruba (GMT -4). Enviei mensagens para os advogados da Kloes & Partners em Aruba, mas até agora não obtive respostas.

Alguém sabe se o Argus (Polynesia II) foi ou não vendido ontem?

Em desespero por saber mais alguma coisa, criei ontem um blogue onde tenciono acompanhar a situação do Argus.

Pedro Vasconcelos
Por favor contactem-me por E-mail: barcostradicionais@pedrovasconcelos.com

ou coloquem comentários aqui ou no blogue http://alexanderslatter.blogspot.com/

Obrigado!

Atlântico Azul said...

Reproduzo de seguida o teor do post de 7 de Janeiro de 2008 e, no final, a mensagem do Pedro Vasconcelos:
«Há dias, joão marinheiro sugeriu, em comentário ao post "NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA", lançarmos a ideia na blogosfera, «...para que se reúna a massa crítica necessária a reavermos este pedaço da nossa memória». Também o Amigo A. Fangueiro (de http://www.caxinas-a-freguesia.blogs.sapo.pt) refere que tem «...seguido as notícias todas as semanas sobre a companhia que detém o Argus e está pelas ruas da amargura». O assunto parece muito complicado e cheio de meandros escuros e não sabe até que ponto o Argus será posto "à venda". Espera, porém, «...que não acabe a apodrecer num qualquer canto. Não haverá mesmo ninguém em Portugal que ponha a hipótese de sondar o caso e quiçá reaver o Argus? Infelizmente quer-me parecer que o Argus paga o preço de ter ficado famoso porque Salazar "encomendou" uns trabalhos a Alan Villiers e por isso em Portugal nunca se deu ênfase nos media ao navio ou mesmo a toda a epopeia, tão injustamente. Por isso, muito pouca gente está a par de "quem é o Argus". Tem lançado uns avisos sobre tudo isto no blogue, mas considera que «...este é um caso que precisa da ajuda dos média, por exemplo um documentário...».
Posteriormente, A. Fangueiro disponibilizou a melhor informação que existe na net sobre o estado da Windjammer que detém o «Argus». Alerta para o facto de a situação ser muito complicada, havendo muito que ler. «Todo o caso tem sido seguido por um jornalista que escreve sobre cruzeiros, desde Novembro passado», disse-nos.
Recebi entretanto, em 22 de Janeiro de 2009, a seguinte mensagem do Pedro Vasconcelos: «Seguindo a pista de A. Fangueiro, da Sailor Girl e do João Marinheiro, tentei acompanhar o leilão do Argus que estava anunciado para ontem às 13:30 de Aruba (GMT -4). Enviei mensagens para os advogados da Kloes & Partners em Aruba, mas até agora não obtive respostas. Alguém sabe se o Argus (Polynesia II) foi ou não vendido ontem? Em desespero por saber mais alguma coisa, criei ontem um blogue onde tenciono acompanhar a situação do Argus. Por favor contactem-me por E-mail: barcostradicionais@pedrovasconcelos.com ou coloquem comentários aqui ou no blogue http://alexanderslatter.blogspot.com/. Obrigado!»

Pedro said...

Francamente... as fotografias são óptimas e este blog faz uma imensa promoção do Tejo, do mar e dos respectivos navegantes. O melindre por uma foto vir cortada...?!
Também eu me lembro muito das "Regatas do Bacalhau" e da festa da benção dos bacalhoeiros em frente a Belém.