Monday, June 11, 2007

PARA QUE A CULPA NÃO MORRA SOLTEIRA!...

(Clique na imagem para a ampliar)
ESTOU MESMO MUITO REVOLTADA!...

ESTES POSTAIS SÃO LINDÍSSIMOS - RELÍQUIAS, MESMO - E DEVERIAM ESTAR NA EXPOSIÇÃO DO PORTO DE LISBOA IN MEMORIAM DA CHACINA PROMOVIDA POR ALGUÉM ALGURES NO TEMPO QUE LEVOU AO DESMANTELAMENTO DOS NOSSOS NAVIOS E AO DECLÍNIO DA NOSSA MARINHA MERCANTE!!!!! Da esquerda para a direita e de cima para baixo:

  • N/m AMBOIM (naufragado em Cascais em 1974);
  • Paquetes ANGOLA (desmantelado na Formosa em 1974) ou MOÇAMBIQUE (desmantelado na mesma ilha da China em 1972);
  • Paquete ANGRA DO HEROÍSMO (desmantelado em Espanha em 1974);
  • Cargueiro n/m BENGUELA (durou até ao final da década de setenta);
  • Paquete FUNCHAL de 1961 (é o único destes navios ainda em serviço);
  • N/m GANDA (navegou até à década de 1980);
  • Paquete IMPÉRIO (vendido para sucata em 1974);
  • Paquetes INDIA ou TIMOR (vendidos em 1970 e 1974 para a companhia Guan Guan Shipping de Singapura e acabaram a fazer carreiras entre Singapura e a R.P. da CHINA. O INDIA foi desmantelado em 1977 e o TIMOR em 1984);
  • Paquete INFANTE DOM HENRIQUE (desmantelado na China em 2004, cheio de obras de arte originais portuguesas a bordo, que se perderam).

Mais informações no Blogue [SHIPS & THE SEA].

9 comments:

pereira de oliveira said...

é verdade!!! antes do 31 de julho temos que arquitectar uma entrega da Memória ao actual presidente da Administração do Porto de Lisboa

Sailor Girl said...

Da Memória??? Dela mesma??... Tchiiiii.... Coitado!... Não gostava de estar na pele dele...

Vamos a isso!... Talvez ele possa indicar-nos um ponto focal...

pereira de oliveira said...

vou começar a enviar fotografias para um dossier, para entregar na APL e no ponto focal de onde se vê-se o Afonso de Albuquerque mal se chega á varanda

pereira de oliveira said...

vai ser a própria memória

LUIS MIGUEL CORREIA said...

Foram-se os Navios e ficou a memória de uma bela frota desaparecida que não soubemos conservar nem substituir.
Faltaram as políticas e os Armadores, os marinheiros foram desaparecendo também na desilusão das rotas do Império perdidas. Quase todos estes navios eram unidades vocaciondas para as ligações com o Ultramar.
De todos eles resta o FUNCHAL, graças a um grande Amigo de Portugal e dos navios Portuguesesque veio para Lisboa em 1985 quando comprou o navio FUNCHAL em hasta pública à Comissão Liquidatária da CTM. Falo do armador George Petrus Potamianos, que comprou igualmente o INFANTE DOM HENRIQUE em 1986 e o transformou no navio de cruzeiros VASCO DA GAMA. Os quatro paquetes que actualmente compõem a frota da CLASSIC INTERNATIONAL CRUISES de George Potamianos têm todos bandeira Portuguese e tripulações parcialmente portuguesas. De entre estes navios, destaque para o FUNCHAL, construído em 1961 segundo inspiração do Sr. Vasco Bensaude para a Empresa Insulana. Das memórias passadas, o paquete FUNCHAL é hoje a mais genuína, pois ainda navega orgulhosamente.

LUIS MIGUEL CORREIA said...

Não confundir o Porto de Lisboa como entidade responsável pelo declínio da Marinha de Comércio em Portugal, com os vários Governos responsáveis de facto pela tutela do Mar em Portugal.
A pedir contas será na Assembleia da Republica, no Palácio de Belém, no Gabinete do Primeiro Ministro, no Ministério dos Transportes e na galeria de anteriores Governantes irresponsáveis e impunes pela sua própria condição de sutentável leveza política "Portuguese Style".
O Porto de Lisboa foi um perdedor em tudo isto. A par da economia e do País na sua generalidade.

Sailor Girl said...

NINGUÉM AQUI ESTÁ A CONFUNDIR NINGUÉM!!!...

Koluki said...

A mim o que mais me toca sao os nomes de alguns dos navios: Amboim (a minha mae nasceu em Porto Amboim - Kwanza Sul, Angola); Angola; Benguela, Ganda - tambem em Angola...
Realmente uma pena!

Sailor Girl said...

KOLUKI, TENS TANTA RAZÃO... ESSES NAVIOS ERAM LINDOS!!!