Wednesday, October 10, 2007

CARTA ABERTA À COMUNICAÇÃO SOCIAL

(A [Comunidade que Navega no Tejo] começou a aquecer...)
«Há vários dias que quer televisões, quer imprensa, ignoram o feito do português Francisco Lobato, que vai na liderança do Transat 6.50, com 12 milhas de distância do segundo classificado, não fosse esta uma das provas mais importantes da vela oceânica internacional. Se ficar classificado para a prova foi já um feito notável, posicionar-se no topo da mesma é não só memorável como de importância a nível mundial.
Talvez por ser de importância tão mundial é que só em canais televisivos estrangeiros lá vamos acompanhando os feitos do nosso compatriota. Valha-nos a internet e as informações disponibilizadas nos portais da organização do evento. Por cá, e basta ver a síntese no site da SIC Notícias, as tricas da bola, dos árbitros, do pequeno e do grande corrupto, dos treinadores que mal sabem falar, dos jogadores que nem ouvi-los, etc. É o Portugal “dos pequenos“ no seu melhor, preterindo o tempo de antena dos que se destacam por um qualquer jogo de solteiros e casados, ou pela pequenez quezilenta e mafiosa do mundo futebolístico português.
Ainda que o nosso velejador não tenha direito a uma bandeira em cada janela dos portugueses - bastando-lhe apenas a bandeira nacional que traz no seu barco - que tenha, pelo menos, cinco minutos do jornal da noite. Algures no meio do atlântico, sozinho, a dormir por pequenos períodos de 15 minutos, suportando ventos de 40 nós, vagas de 4 metros, gostará de saber que o seu país sabe do seu feito.
Esse é o papel dos órgãos de comunicação social! Se não disserem, ninguém irá saber, se não souberem… ninguém irá consumir, pois parece que é sobre a estratégia do consumo que funciona a comunicação social portuguesa. Se não tiverem dinheiro para comprar as notícias da Lusa, consultem as seguintes fontes para se manterem informados:
Apesar de ”pequenos” e de sermos só nove milhões, ainda assim, o portal da organização tem o cuidado de disponibilizar informação na língua de Camões. Agora não há desculpas, mãos à obra, que há um português a precisar do apoio de todos nós.»
Adaptado de comentário ao post anterior.
VIVA O MAR PORTUGUÊS!...
VIVA PORTUGAL!

18 comments:

Anonymous said...

Pois claro,os orgãos de desinformação Nacional são assim mesmo.Pimbas é o que eles são.A atitude que as TV´s tiveram quanto à cobertura dos jogos da n/ equipa de Rugby no recente campeonato do mundo em França foi igualzinha.É por estas e por outras que não perco tempo a olhar para aquela pantalha.E alguém viu a mais pequenina reportagem sobre a Real Regata das Canoas? Que excelentes imagens se poderiam transmitir aos expectadores...São uns apáticos e incultos é o que eles são! Força Lobato que os Lobos do Rugby também demonstraram a sua raça.
Luis F Gouveia(2007 10 10/21,15)

LisbonGirl said...

Muitos Parabéns! Notável! Enche-nos de orgulho! Obrigada, Sailor Girl, por divulgares!;)) Abraço!

LisbonGirl said...

E que piano tão encantador, o que é? Beijinhos! É lindo!:))

Anonymous said...

A RTP teve um pouco de vergonha e pelo menos deu a noticia no Telejornal das 20h,foi pouco +-10segundos!mas falou!!!Eu pago impostos e sei que muito do nosso dinheiro vai para lá para o chamado serviço público.Por isso é um dever deles informar correctamente os Portugueses.O Francisco leva a nossa bandeira hasteada na sua embarcação,independentemente do lugar em que chegar ao Brasil ele,(no site oficial tratam-no por o Português) já pôs o Mundo a olhar para ele com espanto e admiração por isso merece ser respeitado principalmente por nós portugueses.Felizmente ele não recebe noticias a bordo senão concerteza que ficaria muito triste pela forma como é ignorado pelos "nossos media".Eu sou um dos que coloca uma bandeira para apoiar as nossas seleções, mas hoje já coloquei uma ainda maior para APOIAR e SAUDAR o Francisco porque ele merece!OBRIGADO Francisco.JC.

Sailor Girl said...

Vela - Transat 6.50 - Francisco Lobato mantem liderança da segunda etapa (2007-10-10, 14h56)

Lisboa, 10 Out (Lusa) - O velejador português Francisco Lobato, no BPI, manteve hoje a liderança da segunda etapa da Transat 6.50 (em solitário), que liga o Funchal a São Salvador da Bahia, no Brasil.

Pelas 12:01 de hoje, o português encontrava-se a 2.373,19 milhas náuticas da meta, sendo seguido pelo francês Stephane le Diraison, no Cutisol-Institut Curie, a 52 milhas náuticas de distâncias.

Lobato, o primeiro português a qualificar-se para a prova e actual número um do "ranking" mundial, terminou a primeira etapa da prova na 17ª posição, com um atraso de 12 horas para Diraison.

A chegada a São Salvador da Bahia deverá ocorrer entre os dias 22 e 25 de Outubro.

JFF.

Fonte: Agência LUSA

Sailor Girl said...

Vela: Transat 6.50 - Navegadores solitários partiram da Madeira rumo a São Salvador da Bahia
2007-10-06, 16h07

Funchal, 06 Out (Lusa) - Os 88 navegadores em prova da Transat 6.50 largaram hoje da marina do Funchal (ilha da Madeira) rumo a São Salvador da Bahia (no Brasil), onde deverão chegar a partir do dia 27 de Outubro próximo.

Esta partida representa o início da segunda etapa desta regata de velejadores solitários que se propõem fazer a travessia do Atlântico até São Salvador da Bahia ao longo de 3.100 milhas náuticas.

A primeira etapa, entre La Rochelle e a ilha da Madeira (1.100 milhas náuticas), foi ganha pela navegadora euro-alemã, Isabelle Joschke, a bordo do protótipo "Degremont-Synergie".

O único português a participar nesta travessia solitária, Francisco Lobato, ficou em 17º lugar na categoria de embarcações de série no seu "Bpi" e em 55º na classificação geral.

A segunda etapa conta com 42 barcos de série e 46 protótipos.

O navegador suíço Jacques Valente, último classificado na primeira etapa, já não participou na largada para a segunda devido a problemas de saúde.

EC.

Fonte: Agência LUSA

Sailor Girl said...

Vela
Transat 6.5 - Francisco Lobato sobe ao 17º posto
2007-09-25, 14h08

Funchal, 25 Set (Lusa) - O velejador português Francisco Lobato ascendeu hoje ao 17º posto da Transat 6,50, regata de travessia em solitário do Oceano Atlântico, recuperando, à chegada à Marina do Funchal, cinco posições em relação a segunda-feira.

Apesar do atraso para a franco-alemã Isabelle Joschke, líder da prova, e do cansaço acumulado ao longo da primeira etapa, que ligou La Rochelle (França) ao Funchal, Francisco Lobato acredita que ainda é possível chegar aos primeiros postos.

"A diferença para o primeiro é ainda recuperável. Essa é a minha principal preocupação, não olhando muito às posições classificativas. Se fizer uma boa regata, está tudo em aberto. Acredito que ainda posso chegar à vitória, mas o projecto não passa exclusivamente por esse objectivo", referiu.

O velejador português admitiu que uma "má opção táctica tomada no primeiro dia da regata" e alguns problemas com a electrónica lhes custaram alguns lugares, apesar das "espectaculares" condições de vento.

A largada para a segunda etapa, que liga o Funchal a São Salvador da Baía, no Brasil, num total de 3100 milhas, está prevista para 06 de Outubro.

NFO.

Fonte: Agência LUSA

Sailor Girl said...

Transat6.50 - Isabelle Joschke venceu primeira etapa ao chegar em primeiro lugar à Madeira
2007-09-24, 07h28

Funchal, 24 Set (Lusa) - A navegadora solitária franco-alemã, Isabelle Joschke, a bordo do protótipo Degremont - Synergie (667), venceu hoje de madrugada a primeira etapa da regata internacional Transat 6.50 Charente - Maritime/Bahia.

Isabelle Joschke cortou a meta colocada à entrada do Porto do Funchal às 03:15:30 de hoje, percorrendo as 1.100 milhas náuticas iniciais La Rochelle - Madeira) em 5 dias, 15:33:30, com uma velocidade média de 8,11 nós.

Francisco Lobato, o único português a participar nesta regata, no veleiro de série Bpi (607), encontrava-se em 23/0 lugar e deverá chegar à Madeira terça-feira devido à falta de vento, segundo Ana Lima, da organização da prova.

Os 89 participantes da regata, em protótipos (46) e veleiros de série tipo Pogo (43), largaram de Fort-Boyard, em La Rochelle, no passado dia 18 de Setembro, rumo à Madeira.

No próximo dia 06 de Outubro, as embarcações recomeçam a Regata, que este ano comemora o 30/0 aniversário, partindo em direcção a São Salvador da Bahia, no Brasil, numa rota de 3.100 milhas náuticas, onde deverão chegar a partir do dia 25 de Outubro.

A mais internacional regata solitária tem um percurso total de 4.200 milhas náuticas, ou seja, 7.800 quilómetros.

Esta Regata é organizada pela Associação francesa Grand Pavois e tem o apoio do Turismo de Portugal e do Funchal 500 anos, estando integrada nas comemorações do Dia Mundial do Turismo - a 27 de Setembro - que este ano é celebrado na Região Autónoma da Madeira.

EC

Fonte: Agência LUSA

Sailor Girl said...

Mini-Transat 6.50 - Francisco Lobato na 28ª posição
2007-09-21, 15h27

Lisboa, 21 Set (Lusa) - O português Francisco Lobato segue na 28ª posição, entre os veleiros de série, na primeira etapa da Transat 6.50 em solitário, que liga La Rochelle, na França, ao Funchal, segundo informação recolhida pelas 14:00 no site do evento.

Lobato, o primeiro português a qualificar-se para a prova, encontrava-se a 766 milhas náuticas da capital do arquipélago, a 127 milhas náuticas do primeiro da classificação, o Cultisol-Institut Curie, de Stéphane le Diraison.

Nesta primeira etapa, os 89 "minis" terão de cumprir 1.100 milhas náuticas, estando prevista a chegada ao Funchal a partir de 22 ou 23 de Setembro.

A Transat 6.50 largou terça-feira de La Rochelle, devendo terminar na cidade brasileira de São Salvador da Baia, a partir do dia 06 de Outubro.

JFF

Fonte: Agência LUSA

Sailor Girl said...

Turismo
Governo apoia passagem da Regata Transact 6,50 no Funchal e espera impacto mediático e económico
2007-09-10, 17h33

Lisboa, 10 Set (Lusa) - O governo vai apoiar com 100 mil euros a realização da Regata Transact 6,50, que regressa a Portugal, à marina do Funchal, e espera um impacto mediático e económico no sector turístico na região.

O patrocínio do Turismo de Portugal, hoje anunciado pelo secretário de Estado que tutela o sector, Bernardo Trindade, integra-se na aposta em determinados produtos turísticos, estipulados no Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT).

Uma fonte da Secretaria de Estado do Turismo explicou à agência Lusa que o apoio "é atribuído através do novo Programa de Intervenção Turística, e insere-se na lógica definida no PENT, que contempla o apoio aos principais eventos desportivos com impacto na promoção da imagem de Portugal como destino turístico".

Bernardo Brindade tem chamado a atenção para o papel que pode ter o Turismo Náutico, um dos dez produtos turísticos estratégicos a desenvolver nos próximos anos e que representa actualmente três milhões de viagens realizadas em espaço europeu, com um potencial de crescimento de 10 por cento ao ano.

A Secretaria de Estado do Turismo espera que "o impacto mediático e económico esperado neste evento vá contribuir para consolidar o bom ano turístico de 2007", frisou a fonte da entidade liderada por Bernardo Trindade, recordando que as receitas turísticas cresceram 11,3 por cento nos primeiros seis meses do ano.

Portugal possui uma costa com cerca de 930 quilómetros a que se podem somar ainda os milhares de quilómetros da Zona Económica Exclusiva, tornando o mar como um dos principais produtos económicos do país e, por isso, é uma área que tem recebido alguma atenção dos últimos governos.

É o exemplo dos 10 milhões de euros destinados à recuperação da Frente de Mar de Cascais onde se realizou o Campeonato Mundial de Vela ISAF e dos dois milhões de euros de apoio a eventos como Portugal Match Cup, Tróia Match Cup, Breitling Cup ou Campeonato do Mundo de Motonáutica.

É a primeira vez que a Secretaria de Estado do Turismo apoia a Regata Transact 6,50, uma iniciativa que se realiza entre 21 de Setembro e 06 de Outubro, e que integra o programa de comemorações do Dia Mundial do Turismo, a 27 de Setembro, que este ano será assinalado na Madeira, referiu ainda a fonte.

O português Francisco Lobato é o número 1 do ranking mundial desta regata, cujo objectivo é atravessar o oceano Atlântico em solitário num barco de 6,50 metros, sem assistência exterior.

La Rochelle, a maior marina e um dos portos mais importantes da Europa, é o ponto de largada da Regata Transact 6,50 que faz escala no Funchal e termina em São Salvador da Bahia, no Brasil.

EA.

LUsa

Sailor Girl said...

Mini Transat 6.50 - Marcelo baptizou barco de Francisco Lobato
2007-05-23, 15h00

Lisboa, 23 Mai (Lusa) - Marcelo Rebelo de Sousa baptizou hoje o barco do jovem Francisco Lobato, o primeiro português a qualificar-se para a mítica regata Transat 6.50, com largada em La Rochelle, França, rumo a Salvador da Bahia, Brasil.

O comentador político destacou as qualidades do jovem velejador e hoje tirou o fato e gravata e vestiu literalmente a "camisola", ou o pólo, da Associação Naval de Lisboa, antes de fazer estalar a garrafa de champanhe no barco.

O presidente da comissão executiva do BPI, Fernando Ulrich, também apoia a iniciativa do velejador português (22 anos), que garante partir com o objectivo de "vencer" a travessia transatlântica, numa distância de 4.200 milhas náuticas, que terá escala no Funchal, no final de Setembro.

"O objectivo é o primeiro lugar. Estou consciente que será muito difícil", garantiu o velejador, que larga de La Rochelle a 16 de Setembro.

Estudante do terceiro ano de engenharia naval do Instituto Superior Técnico, Lobato lidera o "ranking" mundial da Classe Mini 6.50 de série depois de em Maio ter vencido a Pornichet Select (300 milhas, em solitário) com largada e chegada a Pornichet e passagem por "le de Groix e Port Bourgenay.

Uma semana antes, havia terminado na segunda posição da Mini-Pavois, também em França, dando mostras de uma boa consistência de resultados e de estar no bom caminho para alcançar o seu grande objectivo: participar nas regatas oceânicas à "volta do mundo".

A Mini Transat foi criada em 1977 pelo inglês Bob Salmon e realiza-se de dois em dois anos, sempre em anos impares, com os velejadores a ficarem impedidos de contactos com o mundo exterior ao longo dos 30 ou mais dias da prova, navegando apenas com recurso ao sextante.

A competição ficou tristemente célebre por um conjunto de acidentes, alguns mortais, pelo que foram estabelecidos critérios de qualificação mais apertados e limitado o número de participantes.

Além do seu valor simbólico, a Mini Transat ficou marcada pela participação de alguns dos maiores vultos da vela oceânica em solitário, casos de Ellen McArthur, Michel Desjoyeux, Isabelle Autissier, Yves Parlier, Bruno Peyron, jean-Luc Van de Heede, Thierry Dubois e Thomas Coville.

JFF.

Fonte: Agência LUSA

Sailor Girl said...

Um português à conquista da Transat 6.50
2007-02-13, 16h48

Serviço multimédia, também disponível em áudio e vídeo, em www.lusa.pt.
Lisboa, 13 Fev (Lusa) - Um pequeno veleiro como casa durante 36 dias, 4.200 milhas marítimas, comida liofilizada, ausência de contacto com o mundo exterior e muita solidão, são alguns dos desafios que esperam Francisco Lobato a partir de 16 de Setembro.

O jovem velejador, de 22 anos, será o primeiro português a aventurar-se na regata Transat 6.50, uma travessia do Atlântico em navegação solitária que partirá de La Rochelle, em França, com destino a Salvador da Baía, no Brasil, com uma escala na Madeira.

Numa embarcação com apenas 6,5 metros de comprimento e com total proibição de contacto com o mundo exterior, Francisco Lobato vai ter de se orientar durante 36 dias pelos astros, utilizando o sextante para efectuar os cálculos necessários à arte de bem velejar.

"Quando comecei a treinar na costa portuguesa passei por situações muito difíceis e complicadas. Tive de aprender a gerir o sono, a sobreviver a horas seguidas de enjoo e a habituar-me a comida liofilizada, o que muitas vezes me fez sonhar com um belo bitoque", afirmou Francisco Lobato, na apresentação do seu projecto Transat 6.50.

O veleiro de Francisco Lobato é concebido para a competição e oferece pouco em termos de conforto - uma garrafa de gás para ferver a água que servirá para preparar os alimentos liofilizadas, um balde a servir de WC, equipamentos de segurança e as velas a servirem de colchão.

"Uma das principais dificuldades é estar sozinho. Ao fim de vários dias isso exige muito de nós fisica e mentalmente e por vezes temos alturas em que vamos muito abaixo psicologicamente e perdemos muita motivação", contou o velejador.

Para se preparar para a prova, além dos treinos no mar, Francisco Lobato recebeu ainda formação sobre cartas de navegação, já que "conhecer os ventos e as correntes é fundamental para o sucesso".

Tendo como pano de fundo a exposição de embarcações, grandes e pequenas, expostas na Nauticampo2007, na Feira Internacional de Lisboa, o velejador não escondeu que o objectivo "passa por um lugar no pódio".

O estudante do 3º ano de Engenharia Naval no Instituto Superior Técnico recordou à Lusa alguns dos "episódios" por que passou durante as provas de qualificação para esta regata, que deverá durar oito dias até à Madeira e depois mais 28 até Salvador da Baía.

"Numa das provas estava tão cansado que adormeci mesmo no fim, acabando por passar a linha de meta ao lado. Voltei para trás mas acabei por ser ultrapassado por dois concorrentes e terminei em terceiro. Foi o meu primeiro pódio", contou, orgulhoso.

A aventura de Francisco Lobato conta com o apoio de Marcelo Rebelo de Sousa, que decidiu "apadrinhar" a presença do velejador na edição de 2007 da Transat 6.50, e já admite a possibilidade de vir a experimentar este desporto.

"A paixão pela vela, que tem desde há 12 anos, o facto de continuar a estudar e o grau de empenhamento, profissionalismo e seriedade foram alguns dos motivos que me levaram a entrar neste filme", explicou Marcelo Rebelo de Sousa.

Amante do ténis e praticante de bodyboard e surf, o professor prometeu estar na partida e na chegada para apoiar o velejador português, que esteve integrado no projecto de esperanças olímpicas e na equipa pré-olímpica para Atenas 2004.

A actual Transat 6.50, mais conhecida por Mini Transat, foi criada em 1977 pelo inglês Bob Salmon e desde aí a prova tem lugar de dois em dois anos sempre em anos impares, sendo que nunca antes um velejador português logrou atingir a qualificação para esta prova.

MLS.

Fonte: Agência LUSA

Sailor Girl said...

Um português à conquista da Transat 6.50
2007-02-13, 16h48

Serviço multimédia, também disponível em áudio e vídeo, em www.lusa.pt.
Lisboa, 13 Fev (Lusa) - Um pequeno veleiro como casa durante 36 dias, 4.200 milhas marítimas, comida liofilizada, ausência de contacto com o mundo exterior e muita solidão, são alguns dos desafios que esperam Francisco Lobato a partir de 16 de Setembro.

O jovem velejador, de 22 anos, será o primeiro português a aventurar-se na regata Transat 6.50, uma travessia do Atlântico em navegação solitária que partirá de La Rochelle, em França, com destino a Salvador da Baía, no Brasil, com uma escala na Madeira.

Numa embarcação com apenas 6,5 metros de comprimento e com total proibição de contacto com o mundo exterior, Francisco Lobato vai ter de se orientar durante 36 dias pelos astros, utilizando o sextante para efectuar os cálculos necessários à arte de bem velejar.

"Quando comecei a treinar na costa portuguesa passei por situações muito difíceis e complicadas. Tive de aprender a gerir o sono, a sobreviver a horas seguidas de enjoo e a habituar-me a comida liofilizada, o que muitas vezes me fez sonhar com um belo bitoque", afirmou Francisco Lobato, na apresentação do seu projecto Transat 6.50.

O veleiro de Francisco Lobato é concebido para a competição e oferece pouco em termos de conforto - uma garrafa de gás para ferver a água que servirá para preparar os alimentos liofilizadas, um balde a servir de WC, equipamentos de segurança e as velas a servirem de colchão.

"Uma das principais dificuldades é estar sozinho. Ao fim de vários dias isso exige muito de nós fisica e mentalmente e por vezes temos alturas em que vamos muito abaixo psicologicamente e perdemos muita motivação", contou o velejador.

Para se preparar para a prova, além dos treinos no mar, Francisco Lobato recebeu ainda formação sobre cartas de navegação, já que "conhecer os ventos e as correntes é fundamental para o sucesso".

Tendo como pano de fundo a exposição de embarcações, grandes e pequenas, expostas na Nauticampo2007, na Feira Internacional de Lisboa, o velejador não escondeu que o objectivo "passa por um lugar no pódio".

O estudante do 3º ano de Engenharia Naval no Instituto Superior Técnico recordou à Lusa alguns dos "episódios" por que passou durante as provas de qualificação para esta regata, que deverá durar oito dias até à Madeira e depois mais 28 até Salvador da Baía.

"Numa das provas estava tão cansado que adormeci mesmo no fim, acabando por passar a linha de meta ao lado. Voltei para trás mas acabei por ser ultrapassado por dois concorrentes e terminei em terceiro. Foi o meu primeiro pódio", contou, orgulhoso.

A aventura de Francisco Lobato conta com o apoio de Marcelo Rebelo de Sousa, que decidiu "apadrinhar" a presença do velejador na edição de 2007 da Transat 6.50, e já admite a possibilidade de vir a experimentar este desporto.

"A paixão pela vela, que tem desde há 12 anos, o facto de continuar a estudar e o grau de empenhamento, profissionalismo e seriedade foram alguns dos motivos que me levaram a entrar neste filme", explicou Marcelo Rebelo de Sousa.

Amante do ténis e praticante de bodyboard e surf, o professor prometeu estar na partida e na chegada para apoiar o velejador português, que esteve integrado no projecto de esperanças olímpicas e na equipa pré-olímpica para Atenas 2004.

A actual Transat 6.50, mais conhecida por Mini Transat, foi criada em 1977 pelo inglês Bob Salmon e desde aí a prova tem lugar de dois em dois anos sempre em anos impares, sendo que nunca antes um velejador português logrou atingir a qualificação para esta prova.

MLS.

Fonte: Agência LUSA

Velas do Tejo said...

Bom... algo se passa de errado com a assessoria de imprensa do governo . Pois, se investe para promover o turismo da região e não tira proveito mediático interno, parece-me uma forma pouco inteligente de investir dinheiro.

É o Portugal no seu melhor!

Velas do Tejo said...
This comment has been removed by the author.
Velas do Tejo said...
This comment has been removed by the author.
Velas do Tejo said...
This comment has been removed by the author.
Velas do Tejo said...

Resposta do Provedor do DN:

Caro leitor

Encaminhei o seu protesto para os responsáveis da respectiva área editorial.
Cumprimentos
Mário Bettencourt Resendes